Laudos Laboratoriais – Uma análise sobre a apresentação e a novidade do laudo evolutivo

Publicado em 04 de fevereiro de 2022
A imagem contem cinco tubos de coleta de sangue para exames laboratoriais sobre papéis de documentação de controle do laboratório

Já teve dúvidas sobre como apresentar os resultados de exames ao paciente? Então este artigo é para você! Preparamos uma análise de fatores importantes a considerar nos laudos laboratoriais, e te apresentamos mais uma novidade do Compulab que permite ampla visão do quadro clínico do paciente, o laudo evolutivo.


Quando o laboratório planeja a apresentação dos resultados de exames, precisa analisar a legislação existente, por isso, iniciamos trazendo um breve resumo de fatores a considerar. A formatação do laudo de exames realizados pelo laboratório, na fase pós-analítica, deve seguir alguns padrões. Um deles é o item 6.3.3 da RDC 302/2005 da Anvisa, que determina uma série de informações que devem constar no laudo. É importante destacar que esta relação, reproduzida abaixo, consiste nas informações mínimas referentes ao laboratório, paciente e exames a apresentar:

  • identificação do laboratório;
  • endereço e telefone do laboratório;
  • identificação do responsável técnico;
  • número de registro do responsável técnico no respectivo conselho de classe profissional;
  • identificação do profissional que liberou o exame;
  • número de registro do profissional que liberou o exame no respectivo conselho de classe do profissional;
  • número de registro do laboratório clínico no respectivo conselho de classe profissional;
  • nome e registro de identificação do cliente no laboratório;
  • data da coleta da amostra;
  • data de emissão do laudo;
  • nome do exame, tipo de amostra e método analítico;
  • resultado do exame e método de medição;
  • valores de referência, limitações técnicas da metodologia e dados para interpretação;
  • observações pertinentes.

O item 6.3.4 da RDC 302 ainda acrescenta a obrigatoriedade de informar claramente no laudo a eventual aceitação, para análise, de amostra com algum tipo de restrição.

Quem já faz uso de software para laboratório conta com opções de modelos diversos, e no Compulab o laboratório tem total autonomia para personalizar o laudo de acordo com as necessidades, exigências técnicas e preferências de layout. (Para mais informações, clique aqui e fale diretamente com a nossa equipe)

O modelo abaixo, além dos resultados numéricos, inclui o gráfico de normalidade, baseado nos valores de referência. O gráfico não é um elemento obrigatório, conforme legislação, porém é uma opção que o sistema Compulab oferece e que facilita a visualização dos resultados.

Laudos com resultados numéricos

Falando especificamente dos laudos em que há a necessidade de apresentação de resultados numéricos, como hemograma, glicose, colesterol, triglicerídeos, enfim, vimos acima a necessidade de apresentação dos valores de referência para cada elemento analisado. É importante consultar regularmente a bibliografia científica existente, nacional e internacional, pois estes podem ser modificados com base em novos estudos, além dos manuais dos equipamentos e kits de análise utilizados, que também podem influir nos parâmetros de normalidade.


Imagem 1: exemplo de laudo com gráfico de normalidade e valores de referência emitido pelo sistema Compulab

Laudo evolutivo

O novo laudo evolutivo do Compulab, surge para complementar a apresentação do resultado de exames laboratoriais em que há testes numéricos. O laudo evolutivo permite comparar, lado a lado, o resultado atual com até cinco resultados anteriores que tenham sido realizados no laboratório. Caso haja no mínimo um resultado anterior para os exames desejados, ele será mostrado automaticamente no final para os analitos configurados para aparecer. Esse novo formato permite ao médico uma ampla visão do quadro clínico do paciente, contribuindo para um diagnóstico mais preciso. Através da visão do histórico dos últimos exames realizados, é possível observar a evolução do tratamento, ou mesmo detectar variações significativas, entre um exame e outro, que possam indicar alguma irregularidade ou patologia ainda não avaliada nas etapas de anamnese e exame físico.


Imagem 2: exemplo de laudo evolutivo emitido no sistema Compulab

Caso o laboratório possua um site, o laudo evolutivo também estará disponível, pois é parte integrante do laudo uma vez configurado, facilitando o acesso ao médico e paciente. Para acesso por terceiros é necessário observar as exigências da LGPD em relação à autorização prévia do paciente no termo de consentimento.

(Para saber mais sobre LGPD, leia também este outro texto do nosso blog: LGPD na Saúde – O que muda para os laboratórios de análises clínicas?)

O laudo evolutivo traz muitos benefícios para os cuidados do paciente. Quando o laboratório disponibiliza laudos em formato evolutivo, contribui para um bom tratamento e diagnóstico, reforçando sua preocupação com seu cliente e com a qualidade dos serviços prestados.


Referência de pesquisa:

http://antigo.anvisa.gov.br/documents/10181/5919009/RDC_302_2005_COMP.pdf/bf588e7a-b943-4334-aa70-c0ea690bc79f